top of page

De barro, de cimento,

De cerâmica também,

Cobertura que vai bem,

Faz o acolhimento,

Abriga com fundamento.

De telhas, faz o telhado,

O teto mais adequado

Para a nossa proteção

Das chuvas e do solão.

Deixa o lar conceituado.

Oca de branco é casa.

Casa de índio é oca.

Também pode ser maloca

Quando a oca defasa

E uma maior se apraza.

Muitas ocas, uma aldeia

Coletivo é que norteia.

Muitas casas é cidade,

Individualidade,

Que o cidadão se baseia.

Da vida e da arte

Babalu foi meu mentor.

Me ensinou o seu labor,

Foi o meu baluarte.

Pintar telhados, destarte,

Também ele me ensinou,

O que me proporcionou

Ocas Urbanas fazer.

Com carinho, com prazer,

Cada obra germinou.

A minha deferência

Aos Povos Originários.

Pra Vida, são necessários,

Do viver, são referência.

Peço vossa anuência

Para vossa arte usar

Pra que eu possa ilustrar

Que por sob os telhados

Desses chãos retalhados

São os donos do lugar.

Ocas Urbanas . Assinatura Leo.png
bottom of page